26 maio 2008

CINEMA SURREALISTA: MAN RAY


Fotógrafo e pintor norte-americano (1890-1976), Emanuel Rabinovitch – Man Ray- nasceu na Filadélfia, e ainda na infância se mudou para Nova York. Estudou arquitetura, engenharia e artes plásticas, e se iniciou na pintura ainda jovem. Foi um dos principais nomes do movimento de vanguarda da década de 20, responsável por inovações artísticas na fotografia.

PHOTOGRAPHER MAN RAY - A FILM BY JEAN-PAUL FARGIER 1998



Em 1915 conheceu o pintor francês Marcel Duchamp, com quem fundou o grupo dadá nova-iorquino. Em 1921 mudou-se para Paris e entrou em contato com o movimento surrealista na pintura.


Passou a trabalhar como fotógrafo para financiar a pintura e, com a nova atividade, desenvolveu a sua arte, a radiografia, ou fotograma - imagens abstratas, obtidas sem o auxílio da câmera, mas com a exposição à luz de objetos previamente arrumados sobre o papel fotográfico.


Realizou um cinema experimental, surrealista, nos idos das décadas de 20 e 30, como seus contemporâneos Luis Buñuel, Paul Wegener, Robert Wiene e Murnau. Neste período floresceu o cinema expressionista alemão que tem em Fritz Lang e Murnau seus maiores exemplos.


Parisian Surrealists Tristan Tzara, Paul Eluard, Andre Breton, Hans Arp, Salvador Dali, Yves Tanguy, Max Ernst, Rene Crevel, and Man Ray, (Paris, 1933)

Para a sua produção, Man Ray contava com o auxílio de uma técnica chamada solarização, pela qual invertia parcialmente os tons da fotografia. Além de “O Retorno à Razão” - Le Retour à la raison (Estados Unidos, 1923), “Emak Bakia” (Paris, 1926) e “A Estrela do Mar” - L’Etoile de mer (Paris, 1928), o artista fez mais 10 curtas entre 1923 e 1940.

LE RETOUR A LA RAISON (MAN RAY, 1923)



L'ETOILE DE MER (MAN RAY, 1928)



EMAK BAKIA

Em seu filme mais conhecido - Emak Bakia (‘deixe-me em paz’ em basco), um curta de 20 minutos, Man Ray promove uma total non-sense artística, quebrando violentamente com os padrões estabelecidos do cinema convencional.



No filme, Ray se utiliza de imagens surrealistas e de elementos do dadaísmo; não revela nenhum significado fixo ou ideia base e informa que o cinema e a fotografia ainda têm muito a mostrar.
Segundo um relato da época, durante a exibição de Emak Bakia, um homem levantou e gritou que o filme estava lhe dando dor de cabeça. Outro se levantou enfurecido e mandou que o primeiro se calasse, então começaram a brigar até que a polícia chegasse ao local.


A primeira apresentação do filme aconteceu num festival dadaísta que o poeta e ensaísta romeno Tristan Tzara organizou.

MAN RAY: HOME MOVIES




ARTISTA SE MUDA PARA "NINHO" GIGANTE NA HOLANDA


O artista holandês Benjamin Verdonck passou os últimos dias vivendo em um ninho construído num edifício em Roterdã. Verdonck levou até um ovo gigante para a calçada próxima ao novo 'habitat'. A instalação "The Great Swallow" foi uma das obras mais comentadas do festival de arte realizado na cidade.
Nos vídeos abaixo é possível ver o artista imitando o movimentos de pássaros.









O VERDADEIRO LUXO


Aquela poderia ser mais uma manhã como outra qualquer. Eis que o sujeito desce na estação do metrô. Vestindo jeans, camiseta e boné, encosta-se próximo à entrada, tira o violino da caixa e começa a tocar com entusiasmo para a multidão que passa por ali, bem na hora do rush matinal.Mesmo assim, durante os 45 minutos que tocou, foi praticamente ignorado pelos passantes. Ninguém sabia, mas o músico era Joshua Bell, um dos maiores violinistas do mundo, executando peças musicais consagradas num instrumento raríssimo, um Stradivarius de 1713, estimado em mais de 3 milhões de dólares.
Alguns dias antes Bell havia tocado no Symphony Hall de Boston, onde os melhores lugares custam 1000 dólares.A experiência, gravada em vídeo, mostra homens e mulheres indiferentes ao som do violino. A iniciativa realizada pelo jornal The Washington Post era a de lançar um debate sobre valor, contexto e arte.



Para o The Washington Post, a conclusão: estamos acostumados a dar valor às coisas quando estão num contexto. Bell era uma obra de arte sem moldura. Um artefato de luxo sem etiqueta de grife.Esse é um exemplo daquelas tantas situações que acontecem em nossas vidas que são únicas, singulares, e a que não damos a menor bola porque não vêm com a etiqueta de seu preço. A boa notícia é que pela primeira vez na história temos a chance de definir o que tem valor real para nós, independentemente de marcas, preços e grifes. Não é mais um luxo o que o mercado diz que você deve ter, sentir, vestir ou ser.O luxo se relativizou, cada indivíduo o percebe a seu modo. "Ele ganhou um conceito mais flexível, que se desvincula do valor das cifras dos produtos e se aproxima das experiências subjetivas, um luxo emocional", afirma o psicanalista Jorge Forbes.

15 maio 2008

MORRE ROBERT RAUSCHENBERG

O pintor americano Robert Rauschenberg, considerado um precursor, fundador no Neodadaísmo e na Arte Pop, morreu aos 82 anos, em Captiva Island, na Flórida, onde residia.


Rauschenberg passou a dedicar-se às artes a partir de 1947, após ter integrado o corpo hospitalar da Marinha durante a II Guerra Mundial, como técnico de neuro-psiquiatria, refletindo sobre a pequena diferença que separa a sanidade da insanidade.

Estudou na Academia Julian em Paris, e com Josef Albers na Black Mountain College, na Carolina do Norte. Depois estudou na Art Student League em Nova Iorque. Passou a viver nesta cidade a partir de 1950, quando sua obra integrou-se ao cotidiano e à complexidade dos grandes centros urbanos dos séculos XX e XXI.

DOCUMENTÁRIO: PAINTERS PAINTING



Cunhou o termo ‘combine painting’ para suas obras de técnicas mistas, libertando a arte de seus conceitos tradicionais e elitistas, misturando escultura, fotografia e colagem. A série "Combine Paintings" lhe valeu uma primeira exposição na galeria Léo Castelli em Nova York em 1958.


Rauschenberg foi o fundador do ‘Experiments in Art and Technology’ (EAT), uma organização que surgiu para auxiliar os artistas a pesquisarem novas técnicas e novos meios em suas obras.

Em 1994, o artista doou ao MAC-USP, por meio da Felicíssimo Corporation, uma série de 22 gravuras chamadas de Tributo 21. Às vésperas do século XXI, Rauschenberg representou 21 propostas de direitos humanos para o novo milênio, e fez 21 doações de álbuns de gravuras para diferentes museus no mundo.
Foi também escultor, coreógrafo, fotógrafo e compositor.


ERASED DE KOONING

Em sua obra “Erased de Kooning” (Desenho de De Kooning apagado), Rauschenberg decidiu levar o desenho ao branco completo, a partir do desenho. Apagou muito do que fez. “Mas aquilo não era nada” - conta. “Cada um parecia um Rauschenberg apagado. Para ser uma obra, teria de começar como arte. Tinha de ser um De Kooning. Uma coisa importante.”


Rauschenberg foi ao estúdio do colega pedir uma obra. “Comprei uma garrafa de Jack Daniels e fui. Depois de uma espera bastante tensa e silêncio, De Kooning trancou a porta com a tela que estava pintando e respondeu: Tem de ser uma coisa de que eu sinta mesmo muita falta.”

VIDEO: ROBERT RAUSCHENBERG - ERASED DE KOONING


“HOJE VOU BEBER NIEMEYER”



Em 2007, o Telemig Celular arte.mov - Festival Internacional de Arte em Mídias Móveis propôs uma reflexão sobre o cenário de convergência entre arte e tecnologia.
Buscou focalizar as possibilidades de uso dos dispositivos móveis para projetos de arte que envolvesse o espaço público. O festival exibiu vídeos criados para serem exibidos na tela pequena ou gravados com aparelhos celular, que explorassem condições de fruição bastante específicas e trabalhos que documentassem performances, projetos de intervenção urbana, tecnologias móveis e locativas.

Meu amigo, o fotógrafo Fábio Cançado, ganhou o ‘Prêmio Especial Cliente Telemig Celular’ com o vídeo “Hoje vou beber Niemeyer” - uma curta ironia homenageia o pensamento e as formas arquitetônicas de Oscar Neimeyer.


LUCIAN FREUD É RECORDE MUNDIAL

A casa Christie's ofereceu (e vendeu) em leilão, uma grande tela do pintor britânico Lucian Freud.


Em comunicado divulgado pela casa, em Abril passado, a diretora do Departamento de Arte de Pós-guerra e Contemporânea da Christie's, Pilar Ordovás, previu que a obra Benefits Supervisor Sleeping (1995), deveria bater o recorde mundial de leilão de uma obra de autor vivo. O quadro poderia alcançar entre US$ 25 milhões e US$ 35 milhões em Nova York, no leilão de arte contemporânea de 13 de maio.
Dito e feito, Benefits Supervisor Sleeping foi vendido por 33,6 milhões de dólares, e agora é a obra mais cara de um artista vivo. O recorde batido é apenas mais um no currículo de Lucian Freud. O recorde anterior de um quadro do pintor, de 85 anos, foi conseguido em Novembro de 1992, quando a obra IB and her Husband foi vendido por 19,3 milhões de dólares.


Freud - record para artista vivo na Christies por superalbertofilho

DONO DO CHELSEA 'COMPRA 2 QUADROS' POR U$ 122,9 MILHÕES


O dono do clube de futebol inglês Chelsea, o bilionário russo Roman Abramovich, teria comprado dois quadros de artistas britânicos vendidos em leilões recordes: Benefits Supervisor Sleeping, de Lucian Freud, e outro quadro, Triptych, de Francis Bacon, que foi arrematado por U$ 86,3 milhões, 24 horas depois.
O porta-voz de Abramovich, que vive em Londres, se recusou a comentar o assunto. "Nós não comentamos assuntos pessoais", afirmou.


Christies: recorde com Francis Bacon em 2008 por superalbertofilho

11 maio 2008

SITE PORNÔ PARA CEGOS VIRA FENÔMENO CULT


Um site dirigido a cegos que oferece descrições em áudio de páginas pornôs na internet está virando um fenômeno cult nos Estados Unidos.

Chamado Porn for the Blind (Pornô para cegos, em tradução literal), o site disponibiliza clipes sonoros que trazem descrições, gravadas por voluntários, de cenas de sexo disponíveis na internet. Somente no mês de abril o site já recebeu mais de 150 mil visitas.
Antes de cada gravação, o locutor informa que endereço do site está descrevendo para que os cegos possam acessar a página e então inicia a descrição das cenas de forma clara e direta com detalhes do cenário, cores, personagens e ambiente para que o usuário possa "imaginar" o que está se passando no vídeo.
O site, fundado em 2006, passou a aumentar gradualmente sua audiência desde que disponibilizou um software, em agosto de 2007, que permite que internautas voluntários gravem as descrições pornôs em áudio.
Segundo um dos fundadores, identificado como Elmer, o site conta com 30 arquivos de áudio, mas os usuários ainda pedem melhorias. A maioria das gravações até agora foram feitas por homens e os usuários pedem mais clipes com vozes femininas e mais 'picantes’.
Para ele, a intenção do Porn for the Blind é "oferecer descrições de todas as páginas pornográficas disponíveis na internet".

INDÚSTRIA DO SEXO


LANÇAMENTO: FITA DE SEXO COM JIMI HENDRIX


"Jimi Hendrix The Sex Tape" tem 11 minutos de filmagem de momento íntimo.

A Vivid - http://www.vivd.com/ -, famosa produtora de vídeos pornográficos, anunciou que vai lançar um DVD com 11 minutos de uma suposta filmagem da lenda da guitarra Jimi Hendrix, que morreu a 37 anos, fazendo sexo com duas garotas.
Em um quarto com pouca iluminação, um homem nu com a característica bandana e a aparência física do guitarrista está com duas mulheres morenas. Seu rosto aparece por poucos segundos, com os olhos fechados. O vídeo não tem áudio.
A Vivid afirma ter feito um grande trabalho com detetives particulares para descobrir se era o verdadeiro Hendrix, que morreu em 1970 aos 27 anos, nas imagens. Steven Hirsch, um dos homens-fortes da produtora, diz que localizou e conversou com o homem que supostamente fez o vídeo com uma câmera de 8mm.
Hirsch se recusou a declarar quanto pagou pela filmagem, mas indicou que foi menos de US$ 50 mil. O DVD, que estará à venda nos EUA por US$ 39,95, tem uma duração total de 45 minutos, com uma retrospectiva da carreira de Hendrix, sem suas músicas, além de entrevista com duas mulheres que conheceram o músico e dizem acreditar ser ele nas imagens.
Alguns especialistas como o biógrafo Charles R. Cross, afirmam que o homem mostrado no DVD não é o guitarrista. O porta-voz da família Hendrix se recusou a comentar o assunto.


Jimi Hendrix the Sex Tape por superalbertofilho

CURTA DE SEXO ORAL COM MARILYN MONROE É VENDIDO POR US$ 1,5 MILHÃO
A cópia de um curta que mostra uma cena de sexo oral entre Marilyn Monroe e um homem não identificado, cujo original está em poder do FBI, foi comprada, recentemente, por 1,5 milhão de dólares, por um colecionador nova-iorquino.

Keya Morgan foi o responsável pela descoberta do filme e pela preparação da sua venda, juntamente com o filho de um antigo informante do FBI, o seu antigo proprietário. O filme foi descoberto enquanto Morgan fazia pesquisa para a produção de um documentário sobre a celebridade. As imagens datam da década de 1950 e foram registradas quando Monroe ainda não tinha atingido o sucesso massivo. As valiosas imagens apresentam a atriz de joelhos, de frente para um homem cuja face nunca aparece. Na opinião de Keya Morgan o homem deveria saber que estava sendo filmado. Ao mesmo tempo, Marilyn nunca olha a câmara de frente.
Na década de 1960, após descobrir o filme e confiscar o original, o então diretor do FBI Edgar Hoover encarregou seus agentes de tentarem provar, em vão, que o parceiro de Marilyn era o presidente John Kennedy, ou seu irmão Robert Kennedy, segundo Keya Morgan.De acordo com os documentos tornados públicos, o responsável pela descoberta do filme teria ligações ao crime organizado e à máfia. Entre os nomes que ofereceram dinheiro pelo filme (25 mil dólares) encontra-se Joe DiMaggio, uma das maiores figuras do baseball e que foi casado com Marilyn.


Marilyn Monroe sex tape sold por superalbertofilho

10 maio 2008

"A ALMA DO NEGÓCIO"


No curta "A Alma do Negócio", um perfeito casal-propaganda leva uma vida feliz e tranqüila até descobrir o que seus maravilhosos produtos podem fazer muito mais do que prometem. Para o espectador, diferentes sensações se misturaram no filme.
Gênero: Ficção
Diretor: José Roberto Torero
Elenco: Carlos Mariano, Renata Guimarães
Ano: 1996
Duração 8 min

Curta - "A alma do negócio". Imperdível !!!

08 maio 2008

CARTA DE ALBERT EINSTEIN É LEILOADA POR MAIS DE 200 MIL LIBRAS

Uma carta em que Albert Einstein avalia a idéia de Deus como produto da fraqueza e qualifica a Bíblia como uma coleção de lendas "infantis" foi vendida em leilão, na casa Bloomsbury, em Londres, por mais de 200 mil libras.


O preço de 207.600 libras, incluindo a comissão da casa de leilões, superou em 25 vezes o lance inicial. A Bloomsbury não identificou o comprador, um "apaixonado pela física teórica".

O texto do prêmio Nobel é dirigido ao filósofo Eric Gutkind e datado de janeiro de 1954, um ano antes da morte do cientista. "Para mim, a palavra Deus não é mais que a expressão e o produto da fraqueza humana e a Bíblia uma reunião de lendas nobres, mas primitivas, que são de todo modo, bastante infantis", escreve Einstein na carta.
Segundo especialistas, a carta apóia o argumento de que o físico tinha uma visão complexa e agnóstica da religião. Apesar de rechaçar a religião organizada, Einstein se referiu em alguns momentos a uma força espiritual. O legado mais famoso de Einstein é a teoria da relatividade restrita, segundo a qual uma quantidade pequena de matéria pode desprender enorme quantidade de energia. A teoria mudou o rumo da física, permitiu previsões sobre o espaço e abriu caminho para o controle da energia nuclear.

E=mc2 : ANOTAÇÕES PESSOAIS DE EINSTEIN ESTÃO ONLINE

Milhares de anotações pessoais do cientista que antes só estavam disponíveis a cientistas e pesquisadores, agora podem ser lidas em Einstein Archives



Nascido em Ulm, sul da Alemanha, em 14 de março de 1879, Albert Einstein, filho de judeus, foi admitido na Escola Politécnica Federal da Suíça, em Zurique, em 1896. Ali, Einstein conheceu a estudante sérvia de física Mileva Maric e casaram-se em 1903.
Já formado, Einstein não conseguia achar emprego como professor de física e matemática e foi trabalhar em um escritório de patentes em Berna. Foi neste escritório, durante suas horas vagas, que ele produziu a maior parte de seu trabalho, inclusive a teoria da relatividade, que transformaria o século XX.
A notoriedade veio e Einstein foi chamado para lecionar em universidades de Zurique, Praga e Berlim a partir de 1909. Cinco anos depois adotaria cidadania alemã, para renunciá-la em 1933, quando emigrou para os Estados Unidos, devido às perseguições nazistas. Em 1919 seu casamento com Mileva Maric, que resultou em dois meninos, dissolveu-se. Einstein acusava a esposa de um ciúme terrível e de uma feiúra incrível. No mesmo ano, casou-se com uma prima divorciada, Elsa Lowenthal. Em 1921 ganhou o Prêmio Nobel em Física.
Nos Estados Unidos, desde 1933, Einstein associou-se à Universidade de Princeton. Pacifista, criticava a guerra, se opunha ao serviço militar obrigatório e discordava da compra de armamentos pelos EUA como forma de evitar a guerra. Mas diante do avanço Nazista, sugeriu o uso de armas.

Outro paradoxo em suas crenças contra a violência foi o trabalho que desenvolveu na energia atômica. Ainda assim, enviou uma carta ao presidente Roosevelt no início de 1945, implorando que não usassem a bomba atômica contra o Japão. A carta foi encontrada, fechada, na mesa de Roosevelt, no dia de sua morte. Depois de Harry Truman ter dizimado os japoneses, Einstein disse: "Se eu soubesse que as pessoas fariam isto, eu teria virado um sapateiro".Grande apoiador do movimento sionista - ao mesmo tempo em que se preocupava com a situação dos árabes na região - Einstein foi convidado por Ben Gurion para ser presidente do jovem estado de Israel. O cientista negou o posto, mas ajudou na fundação da Universidade Hebraica de Jerusalém. Albert Einstein morreu em 18 de abril de 1955 em conseqüência de um ataque cardíaco. Temendo a curiosidade que seu túmulo poderia despertar, pediu para que suas cinzas fossem espalhadas. Seu cérebro, no entanto, foi "subtraído" para ser estudado.

VIDEOS: cenas raras
'Propaganda' norte-americana associando a imagem de Einstein à construção da bomba de hidrogênio.


Einstein e o desenvolvimento da bomba atômica por superalbertofilho

Aqui, Einstein critica o projeto da bomba de hidrogênio.


Einstein Critica o Projeto da Bomba de Hidrogênio por superalbertofilho

'GÊNIO' AUTISTA

Um artista britânico autista reproduziu com precisão a vista aérea de Londres em um painel de 4 metros depois de sobrevoar a cidade por apenas alguns minutos.

Stephen Wiltshire levou apenas cinco dias para produzir a obra, em caneta, tinta e lápis. O artista reproduziu em escala a maioria dos prédios compreendidos nos 14 quilômetros percorridos pelo artista, incluindo o exato número de andares e detalhes arquitetônicos das construções mais conhecidas. A obra está em exposição no prédio da prefeitura de Londres.
O desafio de reproduzir a vista área da cidade foi proposto pelo canal de televisão britânico Channel 5 e virou tema do documentário Human Camera ("Câmera Humana", em tradução literal). Wiltshire é considerado um dos 100 gênios autistas do mundo. Ele começou a desenhar com apenas 5 anos de idade quando começou a estudar em uma escola para crianças especiais. Logo as professoras perceberam que o aluno se comunicava através dos desenhos nos quais representava animais, ônibus e carros e, finalmente, construções arquitetônicas.
O talento do artista chamou a atenção da mídia pela primeira vez em um documentário sobre gênios em 1987. Desde então, Wiltshire vem realizando diversos trabalhos artísticos. Sua carreira como artista se tornou tão popular que a família abriu uma galeria dedicada à sua obra no centro de Londres, em 2006.

DOCUMENTÁRIO COMPLETO: THE HUMAN CAMERA

03 maio 2008

MORRE AOS 102 ANOS, O PAI DO LSD

Albert Hofmann, o químico suiço, que descobriu o LSD em 1943, morreu dia 29 de abril, de ataque cardíaco na sua casa perto de Basileia, na Suíça, aos 102 anos de idade. O anúncio foi feito no site da Associação Multidisciplinar de Estudos Psicodélicos e que reeditou o livro de Hofmann em 2005. Sua imagem de Doutor pela Universidade de Zurique, não correspondeu a de alguém que tomou LSD centenas de vezes ao longo da vida, a droga predileta do movimento hippie nos anos 60.

HOFMANN'S POTION - ALBERT HOFMANN LSD DOCUMENTARY



O cientista sempre defendeu o ácido enquanto “medicamento da alma” – não só contra doenças do foro psiquiátrico como a esquizofrenia, mas também para combater a superficialidade humana dos tempos modernos. E acusou os apóstolos da era psicodélica – o mais célebre dos quais foi Timothy Leary, professor de psicologia de Harvard e um dos maiores promotores do abuso do LSD pelos estudantes norte-americanos – de terem arruinado o futuro promissor da droga.
Entre 1947 e 1966, o LSD foi utilizado para tentar tratar o alcoolismo e o autismo e para aliviar o sofrimento dos doentes com cancer terminal. Foi ainda utilizado para tentar perceber as psicoses “a partir de dentro” e administrado cientificamente em centenas de pessoas. A CIA, por seu lado, viu no LSD uma potencial arma química. A festa acabou em 1966, quando a imprensa começou a revelar os casos de jovens que se atiravam pela janela, que se tornavam psicóticos, ou que olhavam para o Sol até ficarem cegos (estima-se que, nesse ano, houvesse quatro milhões de utilizadores norte-americanos). Quando o LSD se tornou ilegal, Leary e outros gurus da geração psicodélica foram presos nos EUA, no meio de um violento debate social. O consumo de LSD continua hoje, embora com menor impacto.
Quanto ao fato de o LSD ter alguma coisa a ver com a sua longevidade, Hofmann desmentiu quando, nas celebrações do seu centenário, na Basiléia, disse que o que o mantinha em forma era o hábito de comer um ovo cru por dia.

TIMOTHY LEARY


Um dos principais defensores do uso do LSD nos anos 60 foi Timothy Leary, Doutor em Psicologia, que lecionou e desenvolveu pesquisas sobre o cérebro e a mente humana em importantes universidades americanas, como Berkeley e Harvard, chegou a ficar conhecido como "guru do LSD”.
Após experimentar o ácido, Tim teve a certeza de ter encontrado o caminho. Ele e o professor Richard Alpert, deram seqüência às pesquisas. Porém, outros professores ficaram intranquilos vendo a droga ser administrada nos estudantes, e exigiram mais supervisão nos experimentos. Muitos estudantes que não puderam participar da pesquisa passaram a obter a droga de outro modo e passaram a usá-las por conta própria. O Departamento de Narcóticos acabou envolvido e a CIA começou a ficar atenta a essas atividades.

TIMOTHY LEARY: HIGH PRIEST OF LSD – USA



A Igreja também não era favorável a qualquer tipo de droga que abrisse a mente, conduzindo a uma visão politeísta do universo. Logo, Tim e Alpert foram convidados a deixar seus cargos em Harvard.
Mas os professores/pesquisadores continuaram a sua pesquisa com drogas psicodélicas em uma imensa mansão-fazenda em Millbrook, não muito distante de Nova Iorque, com recursos próprios. Lá recebiam amigos, conhecidos, artistas, poetas ou qualquer pessoa que quisesse participar das experiências. Os interessados recebiam LSD e podiam usá-lo em qualquer lugar da casa ou da fazenda, no mato, no lago, desde que depois fornecessem um relatório com todos os detalhes.

TIMOTHY LEARY, THE MAN WHO TURNED ON AMERICA



Rapidamente, o local ganhou fama como reduto de orgias sexuais, depravações, etc. Com a grande popularidade de Leary, o governo passou a ser mais rigoroso em sua política anti-droga. Richard Nixon chegou a chamá-lo de "o homem mais perigoso da América". As frequentes batidas policiais sempre acompanhadas de muita violência acabaram com a "era Millbrook".


Em 1966 Tim foi preso em flagrante por porte de droga e condenado a dez anos de detenção por algo que, pelas leis da época, pegaria seis meses de prisão. Em 1970 fugiu da cadeia e foi para a Suíça. Como o governo suíço lhe negou asilo Leary fugiu para o Afeganistão, onde foi preso no aeroporto, extraditado para a América e mandado de volta à prisão em 1972, sendo solto finalmente em 1976.
Nos anos 80, fascinado pelos computadores, Leary criou softwares de design, continuou escrevendo livros e fazendo conferências. Embora o seu tópico principal agora fosse tecnologia, ele ainda era reconhecido como o guru do LSD dos anos 60.
Timothy Leary faleceu em 31 de maio de 1996, aos 75 anos, em sua própria cama, cercado de amigos. Logo em seguida, de acordo com o seu desejo, sua cabeça foi retirada do corpo e congelada...

DOCUMENTÁRIO BBC: TIMOTHY LEARY